site4-26

Inscrições para o Prêmio Juliana Santilli prosseguem até 20 de junho

Rede Sustentabilidade 1 de junho de 2017

Estão abertas até o dia 20 de junho as inscrições para o Prêmio Juliana Santilli, que tem o objetivo de premiar iniciativas individuais e coletivas de ampliação, conservação, acesso, distribuição ou mesmo de uso dos produtos da agrobiodiversidade. Outra finalidade é também reconhecer a produção intelectual sobre o tema. Mais informações podem ser obtidas por meio do site http://www.juliana-santilli.org.

A premiação é uma iniciativa conjunto do ISA (Instituto Socioambiental), da Associação Bem-Te-Vi Diversidade e da Editora Mil Folhas do IEB e será concedida em três diferentes categorias: iniciativas que façam a diferença promovendo a ampliação e conservação da agrobiodiversidade; estimulando o tema em experiências de economia solidária e associativa, de agricultura urbana e no estabelecimento de circuitos curtos; e a publicação de trabalho sobre o assunto e suas interfaces.

Para as duas primeiras categorias, o prêmio será um auxílio financeiro para a iniciativa vencedora de R$ 10 mil na forma de custeio de intercâmbio, seja para conhecer outros projetos ou para receber visitas de pessoas de outras iniciativas. No caso da terceira categoria, haverá a publicação de obra relacionada pela editora Mil Folhas do IEB. Em todos esses casos, também será concedido o Troféu Juliana Santilli.

Sobre Juliana Santilli
Juliana Santilli era advogada e jornalista. Ela também foi sócia-fundadora do ISA, pesquisadora colaboradora do Centro de Desenvolvimento Sustentável da UnB (Universidade de Brasília) e professora do Curso de Direito Ambiental do Instituto Internacional de Educação do Brasil.

Promotora do Ministério Público do Distrito Federal, era doutora em Direito Socioambiental pela PUC-PR (Pontifícia Universidade Católica do Paraná) e autora dos livros Socioambientalismo e novos direitos: proteção jurídica à diversidade biológica e cultural, Agrobiodiversidade e direitos dos agricultores e Agrobiodiversity and the Law: regulating genetic resources, food security and cultural diversity além de diversos artigos sobre direitos socioambientais.

Juliana era ainda pesquisadora associada do programa “Populações locais, agrobiodiversidade e conhecimentos tradicionais”, desenvolvido pelo Institut de Recherche pour le Développement (IRD), pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e pelo ISA.

Ativista em defesa dos direitos dos agricultores e dos conhecimentos tradicionais, Juliana Santilli estabeleceu parcerias com inúmeras organizações de Agricultores e Povos Tradicionais, orientando em questões relativas a Direito Socioambiental e Agrobiodiversidade. Com a sua ajuda, puderam desvendar a complexidade jurídica do aprisionamento das sementes e ousaram trilhar os caminhos inseguros onde os direitos dos agricultores se chocam com o interesse das corporações. Juliana morreu em 2015, aos 50 anos e teve seu reconhecimento e gratidão de pessoas, famílias, comunidades e instituições que tiveram a honra de conhecê-la.

Com informações do ISA