site3-99

REDE reitera sua posição contrária à reforma trabalhista sancionada pelo presidente Michel Temer

Rede Sustentabilidade 13 de julho de 2017

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0

A Rede Sustentabilidade reafirma sua posição contrária à reforma trabalhista sancionada pelo presidente, que reproduz uma política econômica com visão exclusivamente fiscal, alicerçada em corte de gastos e direitos para quem mais precisa e não aponta um rumo de desenvolvimento que oriente os investimentos.
A reforma trabalhista não irá reduzir a massa de 14 milhões de desempregados, resultado de equívocos de política econômica do governo anterior e do atual, reduzindo para 30 minutos o tempo de refeição ou criando uma jornada de trabalho intermitente.

A extinção da contribuição sindical compulsória acaba com a indústria de sindicatos, mas não coloca nada no lugar e ainda mantém o desconto em folha de pagamento para o “Sistema S”. Saímos de sindicatos cartoriais e pouco representativos para uma desorganização total da representação dos empregados pois o governo não quis enfrentar a discussão da reforma sindical, em que deveria prevalecer a autonomia e liberdade sindical.

Esse enfraquecimento da representação dos trabalhadores será abrupta e acontece justamente quando se estabelece que as negociações entre empregados e patrões poderão se sobrepor à legislação trabalhista, retirando direitos por meio de acordos coletivos e até individuais.

A REDE é favorável uma reforma com equilíbrio entre o dinamismo para a realização dos negócios e os direitos dos trabalhadores, que precisam ser preservados por serem a parte mais frágil de uma relação que precisa ser menos conflituosa.

Comissão Executiva Nacional – REDE Sustentabilidade

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0