pgr1

REDE pede que PGR apure gastos com emendas liberadas para base governista

Rede Sustentabilidade 17 de julho de 2017

Parlamentares da REDE, pediram nesta segunda-feira, à Procuradoria Geral da República que investigue a liberação de emendas pelo governo durante o processo de discussão da denúncia contra o presidente Michel Temer na Câmara dos Deputados. O documento foi elaborado com base em levantamento que apontou um aumento significativo da liberação de emendas para deputados da base governista nos dias que antecederam a votação da denúncia contra Temer na CCJ da Câmara. A representação foi entregue à PGR pelo senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP) e pelo deputado Alessandro Molon (REDE-RJ).

De acordo com os dados, o empenho de emendas aumentou 1300% em maio e 1900% em junho, mês em que a denúncia chegou à Câmara. Em julho, até o dia 13, os valores já superam os empenhados em julho.

Para Randolfe Rodrigues, houve aumento na liberação de emendas a partir da denúncia contra o presidente. “O presidente da República utilizou o orçamento impositivo e utilizou claramente as emendas parlamentares como instrumento de barganha, de leilão, de troca de votos. Utilizou o orçamento público como instrumento de obstrução da Justiça. É esse o objeto da nossa denúncia”, afirmou Randolfe.

Segundo Molon, é preciso que providencias sejam tomadas para impedir que Temer se mantenha no poder fazendo uso do dinheiro público para não responder às denúncias contra ele. “Queremos impedir que Temer continue usando dinheiro público para obstruir a Justiça e permanecer impune com a ajuda do Congresso. Além disso, queremos impedir que serviços essenciais sejam prejudicados por causa dessas manobras ilegais e irresponsáveis do governo”, disse o deputado.

Veja aqui o vídeo do momento em que a representação foi protocolada na Procuradoria Geral da República.