untitled-2

“Suspensão temporária do decreto que extingue a Renca é tática do governo para arrefecer mobilização”, diz Randolfe

Rede Sustentabilidade 1 de setembro de 2017

Na noite desta quinta-feira, o governo federal anunciou a suspensão temporária do decreto que extingue a Reserva do Cobre, nos estados do Amapá e do Pará. A ação partiu do Ministério de Minas e Energia (MME), que paralisou todos "procedimentos relativos a eventuais direitos minerários" na área da Renca (Reserva Nacional de Cobre e seus Associados). O decreto, contudo, não foi revogado.

“Suspensão temporária do decreto que extingue a Renca é mais uma tática retórica do Governo Federal para arrefecer a mobilização popular e a reação negativa que a medida provocou. É mais um remendo, como foi o primeiro recuo, que não durou mais que alguns minutos”, declarou o senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP). Para ele, a Amazônia continua sob forte ataque e, apesar da suspensão temporária, nada impede que, passados os 120 dias, as atividades de exploração mineral sejam retomadas.

“O Governo Temer corre para pagar sua "dívida" com os setores econômicos representados no Congresso, que, com seus votos, o livraram das acusações de corrupção, já antevendo novas denúncias”, diz.

 

ato-amazonia

Ato Mundial pela Amazônia e mobilização mantida

Neste sábado, às 16h, acontece em Macapá o Ato Mundial pela Amazônia, com a participação da porta-voz nacional da REDE, Marina Silva e o senador Randolfe Rodrigues. “Mantenhamos a mobilização para enterrar esse decreto de uma vez por todas, ainda que com sua revogação forçada, pelo Judiciário ou pelo Congresso Nacional, e conter os avanços inescrupulosos de Temer sobre Temer sob o patrimônio do povo brasileiro”, declarou Randolfe. Também estão confirmados no ato artistas locais, ambientalistas e movimentos sociais de todo o Brasil, num movimento de pressão para que os parlamentares aprovem o Decreto Legislativo 160/2017, para suspender a extinção da Renca (Reserva Nacional do Cobre e Associados).