site3-99

Marina segue firme e não existe crise interna na REDE

#Rede 30 de outubro de 2017

Nota da Executiva: 

Em matéria de hoje, o jornal Estado de S. Paulo alega uma suposta crise interna na REDE Sustentabilidade. Uma das motivações seria a falta de verba que deixaria o partido com “estrutura de nanico”.

Ora, a distribuição do Fundo Partidário é de 5% do seu valor para divisão igualitária entre todos as legendas registradas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Essa porcentagem era anteriormente de 11% e, “coincidentemente”, foi reduzida às vésperas da REDE conseguir seu registro como partido.

A REDE não vai se distanciar de sua coerência ideológica para alcançar cifras maiores no final do mês. Não foi e nem nunca será um posicionamento de um partido que nasceu e continua sendo programático, que acredita em uma nova forma de se fazer política através das ideias.

Mesmo recebendo um valor bem menor do Fundo Partidário do que grandes legendas – as mesmas que estampam capas de jornais com denúncias de corrupção, inclusive no próprio Estadão -, a REDE mantém a sua atuação na política em nível federal, estadual e municipal sem estar envolvida em escândalos, e construindo uma trajetória coesa com os principais objetivos de renovação política e de luta pelos direitos dos brasileiros. Podemos ter uma estrutura de “nanico”, como descreve a matéria, mas nossa atuação é combativa e reconhecida pela sociedade.

O sistema político, guiado pelos que têm maior interesse em manter o “jogo” como está, tenta barrar as alternativas que se colocam no cenário político. Mesmo assim, a REDE Sustentabilidade irá continuar com seu trabalho e manter a coerência de ação nas suas principais pautas.

Nota da Bancada da REDE no Congresso:

A figura de liderança de Marina Silva parece incomodar. Sua possível candidatura na próxima eleição presidencial já é o suficiente para motivar boatos de um suposto afastamento entre nós, parlamentares da REDE Sustentabilidade, e a Porta-voz do partido.

A boa política se faz com presença em várias frentes, e o trabalho feito no Congresso Nacional é parte da atuação em que REDE se propõe. Somos a expressão da REDE no Congresso e procuramos atuar da melhor forma possível para dar visibilidade às propostas do partido.

Enquanto isso, Marina está presente em vários debates ao dar entrevistas para a imprensa brasileira e internacional, além de participar de eventos em vários países e por todo o Brasil. Quem diz que Marina se “calou” nos últimos eventos políticos, provavelmente não tem interesse em procurar suas opiniões divulgadas abertamente nas redes sociais e nas chamadas dos jornais.

Nutrir mentiras é uma das formas mais baixas que o jogo político encontra para desestabilizar figuras que são consideradas ameaças ao arcaico modo de se fazer política no Brasil.