Nota da REDE sobre a conduta do Telegram no Brasil

Resta bastante evidente que a prática massiva e estruturada de desinformação e fake news utilizada largamente em 2018 será novamente empregada no processo eleitoral que se avizinha.
As recusas sistemáticas do aplicativo Telegram em responder a qualquer tipo de contato da Justiça brasileira, destacando-se o movimento feito pelo TSE para tentar coibir essas práticas nefastas que ferem a legitimidade da democracia e maculam o processo eleitoral, constituem desprezo à institucionalidade do país. É inadmissível que uma empresa que opere em uma escala tão grande em território nacional, não se responsabilize por eventuais crimes cometidos por ela mesma e por seus usuários. Segundo noticiado em jornal de grande circulação, a empresa tem um representante legal no Brasil há 7 anos, porém não respondeu aos diversos contatos oficiais feitos pela Justiça brasileira. 
É preciso que o TSE e o STF tomem atitudes enérgicas e tempestivas para que tal prática, em se tratando de um segmento tão sensível como a comunicação de massa, não termine por ferir de morte a nossa já combalida democracia.
Pelo exposto, a Rede Sustentabilidade posiciona-se firmemente em defesa da liberdade de expressão manifestada em sua plenitude, porém não confundida com organização criminosa que cria e dissemina mentiras e informações distorcidas, destruindo reputações e induzindo o povo brasileiro ao erro, cujo preço pago é altíssimo. 
Manifestamos apoio ao posicionamento do Ministro Barroso, que externou preocupação com essa situação e sinalizou que tal conduta da plataforma não poderia ser tolerada no Brasil. 
Consideramos a suspensão ou o banimento de empresas uma medida drástica, porém mais drástico ainda é termos mais uma eleição contaminada pela mentira, pelo ódio e pela tentativa criminosa de conspurcar a democracia e as instituições no Brasil. Na Alemanha, cuja prática da empresa era a mesma, as autoridades conseguiram estabelecer o cumprimento das regras e responsabilidades, após as sanções mais duras terem sido colocadas.
Cabe a todas as pessoas, forças políticas e instituições da democracia saírem em defesa de um pleito digno, lastreado na verdade, baseado em propostas que ajudem o Brasil a sair de uma das piores crises da sua história.
Brasília, 21 de Fevereiro de 2022
Elo Nacional da Rede Sustentabilidade

Fechar Menu