REDE votou contra perdão de dívidas de igrejas

A REDE Sustentabilidade foi contrária ao projeto que anula dívidas tributárias de igrejas. A proposta foi aprovada no Congresso Nacional e pode ser sancionada hoje (11), pelo presidente Jair Bolsonaro.

A deputada federal Joenia Wapichana (REDE/RR), única representante da REDE na Câmara dos Deputados, votou contra a emenda que foi aprovada por 345 votos a favor. Na Casa, a proposta teve duas abstenções e 125 votos contrários. A votação aconteceu no dia 15 de julho.

No Senado, a aprovação aconteceu no dia 18 de agosto, de forma simbólica. O relator do projeto, senador Rodrigo Cunha (PSDB-AL), apenas chancelou o texto aprovado pelos deputados.

O porta-voz da REDE, Pedro Ivo, explica que a orientação do partido sempre foi contrária à emenda. “Independentemente de qual instituição, mesmo que seja religiosa, todas devem honrar seus compromissos com o Estado, ainda mais quando tratam-se de multas relacionada aos descumprimentos das leis vigentes”, afirmou.

De acordo com o jornal Estado de São Paulo, o valor do “perdão” seria de quase R$ 1 bilhão de dívidas tributárias acumuladas após fiscalizações e multas aplicadas às igrejas pela Receita Federal.

Erro da Folha de São Paulo

Em texto publicado na noite desta quinta-feira (10), o jornal Folha de São Paulo errou ao dizer que “de 24 partidos na Câmara, apenas 1 votou contra anistia da dívida bilionária”. O jornal cita o PSOL como o único a votar unanimemente contra a proposta.

A deputada federal Joenia Wapichana informou que aguarda uma errata do jornal, pois votou “não” e é a única representante da REDE na Câmara dos Deputados.

OUTRAS CAMPANHAS

Fechar Menu